Reencontro com dEUS-pt 2

Como já havia citado no post abaixo continuo destrinchando minha redescoberta da banda dEUS. A banda surgiu em 1991 em Antuérpia, Bélgica como uma banda de covers e logo depois começaram a fazer composições próprias baseada em suas influências. Ao contrário do que fazem certas bandas, tentando deixar suas músicas o mais homogêneas possível, o dEUS chutou o pau da barraca e deixou as concessões de lado. O resultado disso foi um emaranhado de ótimas canções descontruídas, com vocais desencontrados e com influências das mais diversas, passando até pelo jazz. O ápice dessa loucura sonora se deuem 1994 quando lançaram o primeiro álbum. Worst Case Scenario é uma coleção de músicas com extremo grau de criatividade e competência de seus músicos muito bem introsados. Suds & Soda abre os trabalhos com um violino pra lá de agudo em ritmo de cirene de polícia para logo depois ser acompanhado de uma parede sonora, sem ser barulhenta e culminando num refrão bem melódico. Via é daquelas canções que fazem você apertar o repeat o tempo todo e Morticiachair é insana na medida certa. Não há uma música que se pareça com outra no disco todo, todas tem uma identidade própria e por ali destilam samples de Frank Zappa, teclados excêntricos a la the doors, punk, Jazz e um pouquinho de Rock Progressivo. Enfim, música livre, leve e solta. O álbum só não fez mais barulho porque naquela época os holofotes estavam virados para uma cidadezinha chamada Seattle e tudo que vinha de lá virava ouro, mesmo sendo uma merda, mas isso é uma outra história. Consideram até hoje como melhor disco de estréia de uma banda e o melhor da carreira deles. Em todo caso vale a pena ouvir. Está recomendado. Z!

Comentários

Postagens mais visitadas