A Arte de Ser Ruim

Viva los Filmes Toscos



Me diga o nome de um bom filme de terror ou de ação que você tenha visto atualmente, ..., não se lembra? E filmes ruins? Com certeza, né?!
E seu disser que existem filmes muito ruins que chegam a ser ótimos e que não são nem um pouco valorizados? Correção - não são valorizados pela grande massa, essa que lota os cinemas, na maoria das vezes quando um crítico pixulé diz que o filme é a melhor obra que surgiu em anos, ou por gente que não entende lhufas de cinema e acham que qualquer coisa bem produzida é sensacional.
E que passaram a acreditar que a denominaçã "Filme B", seja pra designar filmes com baixa qualidade. Claro, isso é a mais pura verdade. Esses filmes estão aí pra mostrar tudo o que não se deve fazer pra ter um bom filme. E é justamente aí que entram fãs incrivelmente dedicados a encontrar as melhores qualidades destes, que são a "escoria" do cinema mundial. E porque não dizer que esse estilo de filme e seus outros colegas de classe como os filmes C, D e por aí vai é o que mais tem fã-clubes espalhados pelo mundo. Não adianta fugir, você com certeza um dia ainda vai ver um filme "TRASH". Não espere o melhor, apenas o pior. E isso é o grande charme da parada. Ser tosco.
Dentro desse universo de levar a sério demais grandes produções que não fedem e nem cheiram, porém causam um tremendo estardalhaço, vide o péssimo Max Payne. Existem aí filmes que jamais serão esquecidos, podem não fazer sucesso algum nos cinemas, muita das vezes nem chegam neles, mas ficarão pra sempre em nossas memórias, fazendo com que toda hora revejamos o mesmo filme.
Filme Trash é uma delícia. Erros de continuidade, maquiagem tosca, sangue em profusão e sem nenhum compromisso com o roteiro. Poderia citar centenas de obras desse "nível", mas vou me ater apenas a algumas mais recentes que não canso de ver. Não sou o maior expert no assunto mais sei escolher meus "Cult's" de vez em quando...

Grindhouse - Impossível não citar esse projeto. A idéia: juntar dois filmes num só como era feito a décadas atrás, geralmente juntando um filme de terror(trash) + um de ação B ou artes-marciais. Neste não foi diferente. devido aos baixos números e ao tempo da projeção teve que ser dividido em dois filmes distintos mesmo. Trailers falsos e produção capenga, tudo no maior estilo.

O primeiro na verdade nada mais é do que uma homenagem aos filmes trashs dos anos 70, Zumbis, mulheres semi-semi nuas, Zumbis, balas, Zumbis...


Planeta Terror de 2007 de Robert Rodriguez é uma pérola da mimetização, o cara juntou tudo e mais um pouco do que ele passou a infância vendo nas sessões Grindhouses, foi feito pra ser ruim mesmo, com direito até a rolo de filme queimado no meio da projeção(justo na hora do rala e rola). Contando com Bruce Willis, Quentin Tarantino(o Rei dos B's), Josh Brolin (o Presidente Bush nas telas), Naveen Andrews(o Sayd de Lost), uma Fergie gostosa demais e a melhor heroína de filmes trashs de todos os tempos: Cherry Darling interpretada pela linda Rose McGowan.


Depois de um acidente envolvendo o exército americano(sempre eles), pessoas comuns acabam se intoxicando e transformados em Zumbis trucidando tudo que vem pela frente. Mera desculpa pra juntar um grupo de sobreviventes armados até os dentes tendo de frente a imagem mais emblemática do filme e que vai ficar na memória de muita gente: Cherry Darling com uma Metralhadora no lugar da perna acabando com os Zumbis. O must do must.

Já a segunda parte deste projeto nem chegou aqui ainda( não me pergunte o porquê), mas vale a pena dar uma olhadinha. Death Proof(aqui À Prova de Morte)Não é um Tarantino na sua melhor forma, verborrágico ao extremo, chega uma hora que cansa, espero que venha enxugado, o filme só engrena lá na metade. Aí é que o bicho pega. A história de dois distintos grupos de garotas em períodos diferentes que são perseguidos por um slasher(assassinos psicopatas que matam aleatoriamente), chamado Dublê Mike( vivido por Kurt Russel, incrível). O primeiro grupo serve apenas para o diretor exercitar o que sabe fazer de melhor, a discussão sobre o nada, o vazio, começam discutindo "Like a Virgin" e sobre ex-namorados. Pretexto ideal para desfilar referências cult na tela, como seu
fascínio por pés, barriguinhas de fora e música antiga. A melhor cena dessa parte é com certeza Vanessa Ferlito
(a Jarlene) dançando Down in The Mexico para Kurt Russel antes de morrer, como queria estar no seu lugar, ai ai... O segundo grupo parece ser mais esperto e é aí que a ação pega pra valer, com a verborragia dando lugar a uma espetacular cena de perseguição de carros. Insano. O filme, que reascendeu um antigo estilo de filmes muito em voga nos anos 60 e 70, os filmes B que juntavam mulheres gostosas em roupas mínimas, carros e tiros, conta ainda com: Rosario Dawson, Rose Mcgowan, Zoe Bell(dublê da Uma Thurman em Kill Bill), Eli Roth(diretor de O Albergue) entre outros.

Ainda seguindo a onda trash total de zumbis vem Zombie Stripers. Pelo nome você já deduz tudo, não é? Sim, stripers de uma boate infectadas por um vírus mortal(ahá), liberado acidentalmente adivinha por quem? Se transforma em comedoras de cérebros alucinadas comandadas por(hã?) Jenna Jamerson, sim a Rainha dos mãos peludas, a Deusa do Pornô e também por Robert Englund, o eterno Freddy Krueger. Diferentemente de Planeta Terror é que , enquanto o primeiro faz questão de ser ruim, este não faz questão alguma de ser bom. E tome mulheres semi-nuas, sangue e Rock'n'Roll. É bom atentar para as críticas políticas do fime. Bush foi eleito pela 7ª vez por erro de contagem na Flórida(hum), proibiu as casas de dança e está em guerra com Kuait, Indonésia, Tailãndia, Canadá... e usam um código para definir perigo iminente sabido e não evitado: "Bin Laden atacou Wtc."


"Sei que sou uma assassina, mas até 6 meses atrás eu era apenas uma colegial que podia segurar meu irmãozinho com o braço esquerdo..." Ami Hyuga (Minase Yashiro)

Pra finalizar, The Machine Girl diretamente do Japão. Esses sabem fazer filme trash. Colegial tem seu irmão assassinado e sofre nas mãos da Yakuza, tendo seu braço esquerdo esquartejado. Jura vingança e tem seu braço substitudo por uma prótese em forma de metralhadora giratória, uau.
Não é eutentico, mas no que se compromete a fazer arrebenta. The Machine Girl é incrivelmente absurdo com mais sangue espirrando do que em Kill Bill, atuações amadoras e cenários toscos. Qual a graça então? Ver a gracinha da Minase Yashiro vestida de colegial(puro fetiche) e estraçalhando quem passar pela frente, com direito a ajuda de uma mãe que teve seu filho assassinado, que também vai usar uma Serr... Bem, é melhor nao contar a surpresa. Isso porque nem falei do Super Sutiã Assassino a La Madonna...

Ainda faltam muitos, mas vamos deixar pra depois... Z+!

Comentários

Postagens mais visitadas